Congresso da Pastoral da Saúde reúne mais de 150 pessoas de todo o Brasil

O evento realizado na cidade de Igarassu também oficializou a entrega do prêmio 2017

Reunindo agentes pastorais, profissionais de saúde, religiosos e convidados de vários locais do país, ocorreu nesta sexta-feira (30) e sábado (1º), o Congresso da Pastoral da Saúde 2017 em parceria com o Ministério da Saúde. O evento, realizado no Centro Mariópolis Santa Maria, em Igarassu, Litoral Norte de Pernambuco, contou com mais de 150 pessoas e promoveu diversas atividades como palestras, mesas redondas, debates, além de divulgar o Prêmio da Pastoral da Saúde 2017.

Durante o evento vários assuntos da área de saúde foram abordados como: visão pastoral nos conselhos de saúde, segurança alimentar e nutricional, saúde e o Sistema Único de Saúde (SUS), diagnóstico precoce da hanseníase, entre outros. Dentre esses, alguns foram destaques na visão de agentes pastorais. “Eu vou destacar as palestras sobre saúde e SUS e políticas públicas e o trabalho das reformas no âmbito institucional. Elas vão nos ajudar nos trabalhos da paróquia fazendo com que os fies saiam da condição de indivíduos e passem a ser sujeitos, ou seja, participar de uma democracia participativa e não representativa”, pontuou o agente pastoral da Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Madalena, Alexandre Teles.

Para uma das palestrantes, a PhD em dermatologia e Medicina Tropical, Mecciene Mendes, o Congresso da Pastoral da Saúde é de extrema importância. “Com uma programação eclética e cultural ele tornou o tema da hanseníase menos árido e menos pesado. Eu vi muitas possibilidades de conhecimentos, e, aprendendo mais, esse grande encontro nos fortalece. Parabéns a Pastoral pela iniciativa”, enalteceu.

Outro profissional da saúde presente no evento, o dermatologista Francisco Almeida, trouxe orientações aos agentes pastorais em relação ao diagnóstico da doença. “A principal ação a ser feita é o que nós estamos fazendo aqui hoje: educar, facilitar o reconhecimento das pessoas que não são médicas, mas que têm atuação nas comunidades, para caso seja identificado, essas pessoas sejam encaminhadas a realizarem o tratamento no posto de saúde”.

De acordo com o coordenador da Pastoral da Saúde NE2, Vandson Holanda, dos vários temas e atividades do encontro o maior destaque é a hanseníase. “Este é o maior congresso que fizemos até hoje em quantidade de pessoas e o feedback que estamos recebendo tem sido muito positivo.Já entre os temas em destaques, há uma sensibilização com a temática da hanseníase porque nossa região do Nordeste é bastante afetada pelo problema da doença, diferente da Europa, por ter a questão social econômica bem melhor que a nossa. Então, tratar da hanseníase não é só tratar da doença em si, é se preocupar com todo o contexto que a pessoa vive para reintegrá-la no contexto social”, reforçou. Também presente no encontro, o vice-coordenador Nacional da Pastoral da Saúde, Antônio Pitol, elogiou o evento. “Eu avalio de forma muito positiva e só posso parabenizar e agradecer a alegria desse convite de poder estar presente aqui”,  enalteceu.

Premiação 2017:

Fizeram a inscrição e concorreram ao Prêmio Pastoral da Saúde 2017 onze projetos voltados ao tema hanseníase. Entre esses houve a premiação dos três melhores, segundo avaliação da comissão:

1º lugar: I semana de educação em hanseníase do Distrito Sanitário VII: Relato de experiência em Recife-PE, 2016;

2º lugar: Implantação de Grupos de Autocuidado (GAC) nas unidades de referência secundárias inseridas no Programa de Controle da Hanseníase (PCH), em Recife – PE, 2014-2016;

3º lugar: Mobilização sobre hanseníase na Escola de Jaguaribe – Ilha de Itamaracá: um relato de experiência.

Os três projetos ganhadores receberam uma placa honrosa com seus respectivos certificados. “Identificamos a essência dos trabalhos feitos. Eles vestiram a camisa do projeto. Vimos que essa preocupação de você estar lá, apesar de toda diversidade e falta de estrutura da prioridade política de nossos governantes e das comunidades afetadas, vimos pessoas fazendo um trabalho de formiguinha querendo, fazer diferente. Desta forma todos estão de parabéns mais os três primeiros lugares merecem nosso voto de louvor por terem ganhado a premiação”, destacou Vandson Holanda.

Texto e fotos:

Élida Maria Santos

 

Os comentários estão encerrados.